sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

#46 - "límpidas de dor, velhas" (Valter Hugo Mãe)

límpidas de dor, velhas
deles, matam-nos assim
que adormecem, servem-se do
machado e não os deixam
muito tempo no sono, não
vão sonhar que agarram a arma
antes que elas o façam, e afirmam
que os lamentam, esmagados,
elas aos gritos.


Sem comentários:

Publicar um comentário